Alfinetolândia

dezembro 28, 2009

dez mais e blablabla

Filed under: Uncategorized — Alf @ 1:09 am

esses dias estava eu a navegar por um desses portais tipo grobo, terra ou sei lá qual.

eis que me deparo com mais uma dessas famigeradas listas dez mais. era uma lista das dez musicas mais legais, mais importantes ou sei lá que caralho de relevancia escrota que puseram de adjetivo no título pra merda da lista de dez mais da década

sei que eu conhecia uma música só.

e claro que não era a número um. nem ao menos me lembro qual era, porque obviamente se trata de uma lista de musica pop.

e eu não ouço musica pop, claro.

desta feita, animei-me a escrever as dez musicas que eu mais curti nesses últimos dez anos.

foi dificil achar lançamentos, siceramente. as melhores músicas de metal foram gravadas há mais de vinte anos. as de jazz, fácil há mais de 40. logo…

mas achei minhas dez músicas preferidas dessa minha terceira década de vida. poucos albuns, poucas bandas, pouca diversidade, exatamente como manda o deus metal!!

vamos lá!

eis que a número 10 é uma paródia

brothers of mambo

http://www.youtube.com/watch?v=RGMmgEWqmPg

ok, não é uma música que eu ouço quando estou afim de ouvir música. ouço quando estou afim de dar risada. mas vale a menção horrorosa pq é muito engraçado.

ouvi a primeira vez na viagem que eu fiz pra argentina em janeiro de 2009. rolava de dar risada da tosquice de uma das bandas que eu mais curto. satirizar o manowar é uma coisa simples. hermes e renato o fizeram magistralmente. os caras que gravaram essa versão, também. os manos de cuecas de couro e visual de guerreiros brega-trash dos anos 80 são uma das mais claras personificações do metal.

somos o que somos! somos ridiculos? foda-se! somos legais? foda-se! somos o que somos e continuaremos a sê-lo até quando quisermos.

pra mim, o rock morreu quando o grunge nasceu. a atitude de confrontação, coragem e determinação que sempre foi o diferencial do rock, desde elvis, lennon e jagger, ficou muito bem caracterizada como tendo acabado para o mndo mainstream da música, na vida  e na morte escrota de kurt cobain. um possível talento que se perdeu e se jogou no lixo. depois dele, pelas portas que ele abriu, vieram o que? foo fighters? the wallflowers? oasis, a grande farsa musical do mundo? charlie brown, a banda mais detestavel da história do universo, levando em conta pagode e afins? a ridicula nova cara do metallica? kurt cobain abriu uma porta onde só ele deveria ter passado. ele morreu, esqueceu de fechar e o rock morreu junto com ele. foi o último ícone de um genero que sobrevive só no seu filho mais tosco e sincero: o heavy metal.

coitado do mick jagger que tem que conviver com esses idiotas do oasis ou o rídiculo filho do bob dylan.

número 9

warriors of the world united

http://www.youtube.com/watch?v=FUQ0iGksgwg

ficou claro. eu curto manowar pra caralho…

acho muito divertido toda essa pose e as músicas pseudo-sangrentas. algo realmente faz bangear. metaleiros são corintianos da música. gostam daquilo e só daquilo. no máximo, curtem algum outro tipo de música que ao invés de explodir, faz com que o cabra reflita ou se introverta. normalmente jazz, blues ou musica clássica. corintiano é assim. gosta do corinthians. seleção, outros times e quejandos são coisas que servem de entretenimento. nada além.

warriors of the world united marcou uma fase muito legal minha. e está aqui porque é um dos inúmeros hinos que os metaleiros fazem ao metal. e viva a metalinguagem!

número 8

power and majesty

http://www.youtube.com/watch?v=owweWo-tL8g

edguy é legal pra caralho. tobias sammet tenta voltar aos anos 80. as vezes consegue, as vezes fica gay demais. não há problemas em soar gay. mas troque o chapeu de vaquinha pela roupa do dee sjnder! vai ficar muito mais divertido! os anos oitenta, parecem tem ensinado pouco ao tobias, ainda que ele queira revive-los.

essa música originalmente é do primeiro single deles, do meio da década de 90. essa versão é de 2000. muito melhor, ao meu ver.

junto com frozen candle me fizeram gostar de edguy e avantasia até hoje, mesmo todos os cds do edguy tendo saído bem abaixo desse primeiro album e o avantasia só ter mostrado que é muito melhor do que o edguy, o que não é lá nenhuma grande saga, em seu terceiro album.

as duas primeiras partes de avantasia the metal ópera, são muito dierentes entre si. eu queria que não tivesse havido o cd 2. é fraco, ruim, desconexo que nem esse texto. a primeira parte é muito mais legal. tem grandes momentos, mas o melhor deles é trazer de volta o timbre alto de michael kiske para o metal. mas não conte a ele que ele cantou metal! é capaz de ele surtar de novo e ir se esconder em seu castelo por mais dez anos!

número 7

http://www.youtube.com/watch?v=wGrvltnY_XI

real world – gamma ray

fora a donzela, gamma ray é minha banda preferida. kai hansen é foda e não deve nada a ninguem em termos musicais. o que não tem tem virtuose, compensa com criatividade e músicas que são simpáticas, alegres e divertidas.

essa é disparada a melhor música deles desde o powerplant, seu melhor album. aí está na versão ao vivo. mas a versão em estúdio é mais foda.

número 6

iron maiden

dance of dead

http://www.youtube.com/watch?v=YweqyZzL0uM

let me tell you a history to chill your bones: nada nunca foi, nem nunca será musicalmente melhor que o maiden. eu tenho muitos GRANDES e excelentes amigos, mas a obra do maiden é o meu melhor amigo. tem coisas do maiden que nada explica pra ninguém.

que fique claro… eu não sou tiete. não vou ficar me matando pra pegar um autografo ou fazer uma babação de ovo qualquer. a obra do maiden é que me é inestimável. só isso! nas entrevistas e em documentários, parecem caras legais, reservados e tranquilos. o que só me faz querer manter distancia. preservo o espaço deles e mantenhos os “ídolos”. como dizem os antigos, se você quer manter um ídolo, mantenha distancia dele.

número 5

http://www.youtube.com/watch?v=zRwG_Noz6Ww

manowar – gods of war.

melhor musica do manowar. simples assim.

números 4

isso mesmo! números 4!! hua!

eu não gosto de dez. onze é o número que eu mais curto. e aqui, conveniemente ligadas vão duas músicas na quarta posição.

amon amarth – thousand years of opression

http://www.youtube.com/watch?v=9oXITU16wGo

runas, odin, berserkrs e mitos nórdicos. nada mais alf. falta só cerveja e umas perversas peladas!

týr – by the sword in my hand.

http://www.youtube.com/watch?v=gH0y3_-jX3o

runas, odin, berserkrs, mitos nórdicos. nada mais alf. falta só cerveja e umas perversas peladas!

essas duas músicas são foda pra mim porque dizem metaforicamente muito sobre mim e o que eu penso de mim mesmo.

metaforicamente, porque não arranco a cabeça de ninguém com uma espada. uso patadas verbais mesmo.

número 3

the toy master -avantasia

tobbias sammet entendeu o recado que veio após cds medianos do edguy. é um grande compositor e uma imagem andrógina que agrada às femeas: deixe o front pra quem é expert na coisa e ponha umas backing vocals bem gostosas no palco!

nesse cd, divide os vocais com jord land, michael kiske, um monte de outros, mas principalmente, nessa música, com alice cooper. ao vivo, tenta emular a morta reencarnada e manda legal. mas a música é o que é por ter sido executada por um grande conjunto, que inclui o excelente sasha paeth na guitarra. alice e tobias dividem os vocais, mas quem canta em 90% da música é alice. sem o seu tibre peculiar, unico e macabro a música seria mais uma e o terceiro cd do avantasia teria sido um apenas igual ou um pouco melhor que a primeira parte da metal ópera. essa sacada transformou o cd, a música, transformou o show e deu ao avantasia muito mais do meu escasso respeito.

número 2

ayreon – my house on mars

http://www.youtube.com/watch?v=R_iBH_HYXyc

ayreon é foda.

eu odeio pink floyd. odeio a punheta interminável de suas músicas cantadas com vozes de drogados querendo mais um pico. mas inegavelmente pink floyd é a maior influencia de ayreon. o que não me diz nada a bem da verdade.

até hoje eu nunca me pendurei numa árvore por nove dias para obter o conhecimento supremo, nem mesmo bebi um quarto da agua do oceano ou transformei agua em vinho como minhas grandes influencias fizeram.

esses caras fizeram coisas fantásticas, mas eles serm minhas influencias, não me impede de fazer coisas boas e ruins ou mediocres quase todo o tempo. vide este blog.

ayreon e pink floyd é a mesma coisa. pink floyd é uma merda. está junto com charlie bronha e caetano veloso como as maiores aberrações musicais de todos os tempos, incluindo pagode, sertanejo e axé que vem logo em seguida numa briga de foice para ver quem é mais horripilante.

ocorre que pink floyd ser uma merda não impede do ayreon fazer coisas foda.

my house on mars é a música mais triste que eu já ouvi. me sinto assim quando estou triste ou sozinho. foi lançada em 2000 como parte de um projeto do arjen lucassen sober a história da humanidade. esse projeto tem duas partes. a primeira, onde está my house on mars, se chama dream sequencer e conta a história da humanidade desde o último ser humano vivo em marte, após uma guerra ter destruído a terra e daí vai regredindo no tempo até o ponto em que os druidas habitavam a terra. no segundo cd, uma das grandes obras primas do metal, conta a história da criação do universo a partir do big bang. na verdade, não é a história da terra, nem do universo, mas do universal migrator. uma espécie de inteligencia que… ouça! é melhor!

NÚMERO 1

iron maiden – paschendale

melhor música do dance of death. mas só dá pra descobrir isso depois de ouvir bastante e depois que você souber um pouco melhor o que foi paschendale.

o estilo operistisco do maiden não está presente apenas na voz ou na presença de palco do seu front man. vem de conseguir recriar imagens, idéias, momentos, sensações, histórias numa música com guitarras altas e distorcidas e muito peso e energia. inigualável.

é uma das minhas musicas preferidas. e a melhor musica que eu ouvi nesses ultimos dez anos.

mas é isso.

os grandes nomes não andaram fazendo coisas legais, os novos fizeram, pero no mucho e os novissimos não são lá essas coisas.

angra morreu, shaman morreu, sepultura morreu, foi enterrado e tenta sair da cova. a grande banda de metal brasileira é uma paródia: massacration.

o metal é o filho tosco, vivo e sincero do rock. mas está numa fase ruim. crise da meia idade ou primeira broxada, sei lá o que pega. mas precisa ressurgir.

não achei que bandas com sonoridades novas como o therion ou de grandes virtuoses como o dream theather tenham feito grandissimas coisas ultimamente. a exceção fica pro secret of the runes, do therion. mas é um album grandioso. a força está no conjunto. qualquer música fora dele perde muito.

nightwish foi um grande sucesso fugaz. depois de wishmaster não fez nada de legal. a musa tarja foi-se e acho que quase todo mundo enjoou, a bem da verdade.

as bandas de metal enjoativo como stratovarius e punhetas adjacentes foram uma boa fase. só.

helloween está em coma desde the dark ride. volta e meia dá um suspiro, mas rabbits don`t come easy foi fraco demais. gambling with the devil, mais ainda. keeper of the seven keys: the legacy, tem seus momentos e nada mais.

dio vive de aposentadoria. a mesma coisa pro lemmy e o glorioso motorhead, black sabbath ( cujo vocalista queque prefere aparecer na teve à voltar a comer morcegos) e pro purple que enjoou.

o acdc mantém a grande pegada, mas nada de excelente. black ice é um bom album e só.

o judas a mesma coisa. acho que precisa de mais tempo pra assimilar a volta da nossa primeira dama.

o blind guardian está completamente perdido. desde nightfall nada mais acontece de bom na vida dos bardos. um cd pior do que o outro.

as novissimas revelações não revelam nada. logo, sobrou mérito pra quem conseguiu manter o pique. ou pra alguns que vem tentando criar um pique.

no mais, hoje eu vi uma lista dos maiores e mais importantes quadrinhos do século.

uma lista dessas que não tem o calvin entre os dez melhores (ou onze) não tem condições de ser levada a sério.

não vou tecer maiores considerações.
já estou me sentindo idiota o suficiente de ter feito essa lista!

Anúncios

Blog no WordPress.com.